Trabalhos 2016

Colégio D. Duarte (Porto)

Atividade:  C - eco-ementas (2 escalões : 2/3º ciclo e sec/profissional)

Escalão: 2º escalão: 2º e 3º ciclos do ensino básico

Ementa:
As ementas enviadas constituem o resultados do trabalho dos alunos do 6º e 9º ano do Colégio D. Duarte após ter sido abordado o tema da alimentação e terem pesquisado informações sobre a alimentação saudável e sustentável.
Assim, quer as ementas quer a memória, estão separada em duas partes, respeitante aos dois grupos de trabalho. É também de salientar que estes alunos irão apresentar os seus trabalhos à comunidade e desenvolver outros trabalhos de informação com o objetivo de sensibilizar toda a comunidade para a importância da alimentação saudável e sustentável.

Memória descritiva:
Memória descritiva Ementa 1
A presente ementa foi elaborada no âmbito da disciplina de Ciências Naturais pelo 9º ano do Colégio D. Duarte. O processo iniciou-se em contexto de sala de aula com a lecionação do tema “Organismo Humano em ação” no qual é abordada a temática da “Alimentação Saudável no Equilíbrio do Organismo Humano.” Neste contexto foi salientado aos alunos a importância de uma alimentação, saudável, sustentável e nutricionalmente equilibrada. Salientou-se também a importância dos métodos de produção dos diferentes alimentos bem como o método de cálculo do valor nutricional de cada elemento que pode compor uma ementa. Após terem sido abordados estes conteúdos, foi proposto aos alunos que, em casa, em colaboração com os Encarregados de Educação e outros familiares elaborassem uma ementa segundo os critérios apresentados pelo projeto “Eco-ementas”. Desta forma pretendia-se estimular um envolvimento concreto das famílias neste mesmo projeto. Numa segunda fase, em grupo e na sala de aula analisaram e debateram as diferentes ementas. Esta análise segundo os critérios anteriormente apresentados na sala de aula permitiu aos alunos verificarem a diversidade de ingredientes que podem ser usados bem como muitos erros que, por vezes são cometidos na elaboração de ementas. Por último selecionou-se, de entre as diferentes ementas apresentadas a que, segundo os alunos melhor cumpria os critérios definidos. É de salientar que, neste ementa foi tido em conta o valor/equilíbrio nutricional e económico da mesma. Os valores de referência para cada prato/ ementa estão assinalados no decorrer da listagem. Os alunos tiveram ainda como objetivo estimular a utilização de alimentos saudáveis, de baixo valor económico e de rápida produção para desta forma não colocar em causa a sustentabilidade das espécies utilizadas. A maioria dos produtos utilizados são produtos de época o que diminui o processamento dos ingredientes utilizados. Em termos energéticos foi tido em conta que, ao longo da confeção é possível substituir a maioria dos componentes elétricos por trabalho manual e o calor poderia ter origem na Biomassa (fonte renovável) recorrendo a fornos e fogões a lenha. Por último é de referir que docente, alunos, Encarregados de Educação e familiares foram envolvidos neste projeto.

Memória descritiva Ementa 2
Esta memória visa descrever a execução de duas ementas no âmbito de uma atividade proposta pela Eco-Escolas.
A atividade foi realizada no Colégio D. Duarte.
As ementas apresentadas foram realizadas por alunos do 6º ano de escolaridade, supervisionadas pela professora da disciplina de Ciências Naturais.
Os alunos adquiriram os conhecimentos relativos a Alimentação no início deste ano letivo. Nesta altura, esboçaram várias ementas diárias.
Quando lhes foi proposto o desafio da Eco-Escolas, recuperaram as ementas para o almoço e trabalharam sobre elas.
Das ementas elaboradas pelos alunos, foram conjugadas e selecionadas as apresentadas, tendo sido as que tiveram maior consenso entre todos os alunos da turma.
Na elaboração da ementa, os alunos, ao longo da sua pesquisa em livros e em sites da internet (referenciados no site da Eco-Escolas), fizeram consultas à roda dos alimentos de forma a seguirem as porções aconselhadas e obterem uma ementa de almoço equilibrada ao nível nutricional. Quando foi explicado que seria necessário realizarem duas ementas relacionadas com a época do ano, os alunos, de imediato reponderam que seria a do outono/inverno mais calórica e teria de ser servida quente.
A entrada com maior aceitação foi um creme/sopa de legumes, a qual teria de ser passada ou ter um mínimo de peças observáveis e identificáveis, já que a maior parte dos alunos não aprecia legumes, apesar de admitirem que é de fácil digestão e que limita o apetite evitando assim comer com sofreguidão. A entrada, sendo composta maioritariamente por legumes, fornece maioritariamente, fibras, vitaminas, sais minerais e compostos antioxidantes.
O prato principal ao ser servido deve seguir as quantidades indicadas pela roda dos alimentos. O prato deve estar numa proporção de metade com legumes, hortaliças (e na ementa de primavera/verão, também uma fruta, maçã, pois os alunos referiram que dava um sabor adocicado ao conjunto) cozinhados e crus (salada). A outra metade do prato seria preenchida com cereais, seus derivados e tubérculos (que fornecem glícidos, vitaminas B e sais minerais) em igual quantidade com carne ou peixe ou ovo (para obter proteínas, lípidos, vitamina B e sais minerais, como o ferro).
Na elaboração da sobremesa, surpreendentemente, todos os alunos concordaram na importância da fruta assumir um lugar de destaque nesta parte da refeição, para os seus organismos obterem mais vitaminas, fibras, sais minerais, glícidos e água.
Como bebida, a escolha da água foi justificada pela razão de que as sobremesas já eram ricas em frutas variadas.
Os alunos consultaram tabelas de composição de alimentos, cuja fonte de referência foi o Instituto Nacional de saúde Dr. Ricardo Jorge.
Na escolha dos alimentos para as ementas sazonais, os alunos selecionaram os produtos hortícolas, legumes e fruta de época com base na consulta do site http://www.deco.proteste.pt/alimentacao/produtos-alimentares/dicas/fruta-legumes-epoca-ideal. O consumo de produtos frescos na sua época própria só tem vantagens, pois aproveita-se alimentos com maior sabor e com melhor relação qualidade preço, uma vez que existem em maior quantidade do que noutra altura do ano.
Em análise pormenorizada às ementas, alguns alunos consideraram que se sobrasse parte da refeição, facilmente poderia ser aproveitada e ingerida na refeição seguinte, de forma a reduzir os desperdícios alimentares e a diminuir o consumo de mais recursos naturais.
As ementas iniciais foram elaboradas em casa com os seus familiares e por observação da alimentação que realizavam diariamente. Ainda no primeiro período foram analisadas em aula e em contexto grupo-turma foram eleitas as ementas mais saudáveis, aquelas que estavam de acordo com a roda dos alimentos e ou pirâmide alimentar.
Uma turma do 10º ano de escolaridade contribuiu para a atividade ao avaliar de uma forma crítica os gostos dos mais novos, do 6º ano, demostrando interesse por uma alimentação muito mais variada, com pratos tradicionais do país.
Os alunos desta turma fazem, na sua maioria, a refeição do almoço neste estabelecimento de ensino e tomaram como referência essas refeições, tendo sido o próprio encarregado desses momentos envolvido na tarefa, quando confrontado com a viabilidade das ementas.
Os alunos iniciaram o cálculo do valor energético da refeição, mas não terminaram.
É de salientar que os alunos demonstraram ao longo do processo falta de autonomia e dificuldades em cumprirem as orientações do projeto. Foi, inclusive, necessário “convocá-los” para terminar estes materiais que seguem em anexo. Para alguns, sempre disponíveis e mais atentos esta atividade revelou-se uma mais valia, mantendo a curiosidade e fazendo com que continuassem a descobrir formas de saudáveis e sustentáveis para a alimentação que realizam em casa.

Ementa:

Registo fotográfico:

Informação extra: