Trabalhos 2017-18

Escola Básica D. Pedro I - Arco Maior 3 Gaia


Atividade:  E - eco-cozinheiros (para escalões 2 e 3: 2/3º ciclo, secundário, profissional e superior)

Escalão:  2º escalão: 2º e 3º ciclos do ensino básico

Memória descritiva:
A participação no concurso “Alimentação saudável e sustentável” foi proposta aos alunos das duas turmas (2º e 3º ciclos), tendo estes abraçado de imediato o projeto. Assim, o tema da alimentação saudável e sustentável foi trabalhado nas aulas de “O Homem e o ambiente”, através de pesquisas e diálogos. A elaboração da ementa foi concretizada com a professora desta disciplina, em articulação com a professora da área oficinal de Cozinha.
Os alunos definiram, então, uma ementa com base nas estações do ano outono/inverno. Tiveram especial atenção aos produtos biológicos existentes e produzidos na horta do Arco Maior, na área oficinal de Jardinagem. Desta forma, tentou-se promover uma alimentação sustentável que, de certa forma, está patente no projecto educativo desta instituição, uma vez que, diariamente, são confeccionadas as refeições (almoço) para todos os alunos e docentes, havendo o interesse e cuidado de utilizar os produtos produzidos pelos alunos na horta.
Segundo a definição da FAO (2015), uma dieta sustentável tem baixo impacto ambiental e contribui para a segurança alimentar e nutricional da população, assim como para o seu estado de saúde, tanto no presente como no futuro. As dietas sustentáveis protegem e respeitam a biodiversidade e o ecossistema; além de que permitem otimizar os recursos naturais e humanos. Para além disso, uma dieta sustentável é culturalmente aceite, nutricionalmente adequada, acessível pela população, segura e economicamente justa.
Estas ideias foram transpostas para a ementa que os alunos criaram. A partir dos seus conhecimentos sobre dieta saudável e sustentável, e tendo em conta que a refeição deveria ser construída de forma a ser possível a sua reprodução em cantinas escolares, optou-se pela confecção de uma refeição simples, com ingredientes de fácil aquisição e acesso, e que agradassem aos alunos.
A refeição tentou incluir produtos de origem vegetal, que, além de saudáveis, têm uma redução expressiva sobre a pegada de carbono, hídrica e ecológica. Além disso, tentou-se seguir as regras da Dieta Mediterrânica, que é considerada uma das melhores para promover uma alimentação mais saudável e sustentável. Esta dieta incentiva a utilização de alimentos locais e sazonais, o que permite diminuir os custos energéticos, de tempo, embalagem e transporte inerentes à importação de alimentos. Este tipo de alimentação é promotor da diversidade no consumo de alimentos e técnicas culinárias salutares. Este Padrão Alimentar estimula, ainda, a moderação no consumo alimentar, o que possibilita a redução do desperdício de alimentos
Após discussão, os alunos definiram a seguinte ementa:
Entrada: Sopa branca com tosta
Prato: Peito de frango grelhado, arroz de ervilhas e milho e legumes salteados
Sobremesa: Mousse de chocolate com hortelã
Bebida: Sumo de laranja
Seguiu-se, então, a fase de pesquisa de informação relativa à ementa: valor nutricional de cada alimento/prato e pesquisa de orçamento. O registo da informação recolhida foi realizado pelos alunos, em documentos próprios construídos para o efeito. Concluiu-se que a refeição teria um valor energético total (para 4 pessoas) de 4800 kcal, o que corresponderia a cerca de 1100 kcal por pessoa. O valor económico ficaria por 6,68€ para a refeição, ou seja, 1,67€ por pessoa.
Procedeu-se, então, à compra dos ingredientes (alguns provenientes da própria horta da escola) e à confecção da refeição. Todo o processo de preparação dos diferentes pratos foi registado em vídeo e, posteriormente, editado pelos alunos, por forma a criar um pequeno vídeo ilustrativo da atividade. Este vídeo foi divulgado à comunidade através da página de Facebook do Arco Maior Gaia.
De forma a promover a sustentabilidade, a ementa elaborada prefere alimentos locais e da época. Foram utilizados alimentos que são produzidos na região da escola (norte do país), o que permite que a sua aquisição seja feita junto de produtores locais. Durante a confeção dos pratos houve, ainda, cuidado com os desperdícios energéticos, por exemplo, tentando cozinhar com a panela tapada e desligando o fogão pouco tempo antes do final da cozedura, de forma a aproveitar o calor residual acumulado nos recipientes de cozinha.

Vídeo: entrada:

https://www.facebook.com/arco.maior.5/videos/pcb.373470856473785/373469569807247/?type=3&theater

Vídeo: prato principal:

https://www.facebook.com/arco.maior.5/videos/pcb.373470856473785/373468779807326/?type=3&theater

Vídeo: sobremesa:

https://www.facebook.com/arco.maior.5/videos/pcb.373470856473785/373470093140528/?type=3&theater