Trabalhos 2019/2020

Escola Básica Alfredo da Silva (Sintra)

Atividade:  [1] Eco-Ementas (para escalões 2 e 3: 2/3º ciclo e secundário)

Escalão: 2º escalão: 2º e 3º ciclos do ensino básico

Ementa:
Entrada
Caldo de legumes à Albarraque
Prato principal
Peitinhos de frango com mantinha de espinafre saloio e batata doce em papelote;
Salada
Salada Albamix
Sobremesa
Maçã regada no forno
Bebidas
Água da torneira ou limonada aromatizada

Anexar a ementa:

Memória descritiva:
Atividade: Alimentação Saudável e Sustentável
Nesta atividade, foram desenvolvidas propostas para ementas saudáveis que pudessem ser aplicadas na cantina da escola. Das várias propostas recolhidas, foi selecionada uma ementa à qual se fizeram algumas adaptações de forma a ser implementada na cantina da escola. Para evitar desperdícios alimentares, efetuou-se um inquérito para sondar as preferências dos alunos. Tendo em conta que a ementa seria para aplicar na cantina da escola, os custos teriam de ser sustentáveis. Assim, e valorizando os nutrientes das carnes brancas, optou-se por apenas um prato principal. Escolheram-se peitos de frango, que sendo criados no campo, na região saloia, são biológicos, promovendo-se o comércio local e fomentando-se as microempresas. Esta opção, escassa em gorduras e também de fácil digestão, portanto mais saudável, respeita o gosto da maioria dos jovens desta comunidade escolar.
Como acompanhamento, selecionou-se a batata doce que, após lavada, e envolvida em folha de alumínio, será assada no forno. Será temperada com uma mistura de azeite virgem, salicórnia e coentros picados, aromatizada com alho fresco. A carne temperada com ervas aromáticas biológicas e flor de sal, por se considerar mais saudável e ecológico.
Os legumes foram consumidos na sopa e em saladas frescas (alface, tomate, cebolinho, cenoura, cabeça de aipo, acelgas vermelhas e coentros). A maior parte destes legumes foi cedida por elementos da comunidade escolar (professores e funcionários) que possuem hortas biológicas.
A sopa, por ser para uma escola, servirá de entrada. Deste modo, fomenta-se nos jovens o hábito pela ingestão de legumes, considerando-se como um bom início de refeição, por ser servida quente, por ser leve, rica em água e nutrientes.
A sopa tem por base um creme, composto essencialmente por água, cabeça de aipo, cenoura, chuchu, curgete, abóbora, cebola, ao qual após temperado com azeite e flor de sal, foi triturado e adicionado alho francês às rodelas.
Para sobremesa, foi escolhida fruta nacional da época. A escolha recaiu na maçã. Esta, além de ser de fácil digestão, é rica em nutrientes e pode ser consumida de várias formas. Para dar um toque mais apelativo e que compensasse as temperaturas mais baixas nesta época, optou-se por assá-las no forno com uma calda de mel, limão e canela.
Como bebida, a opção mais económica e ecológica foi a água da torneira, por ser garantidamente tratada (certificada pelo SMAS) e disponível a qualquer hora em quantidades ilimitadas, evitando problemas e custos de armazenamento, de transporte e de resíduos das embalagens. No entanto, e dada a existência de limoeiros na horta da escola, proporcionou-se um miminho com a produção de limonada adoçada com folhas de cidreira ou de stevia e aromatizada com um pau de canela e folhas de menta.
Cada refeição rondou os 2,5€, preço da cantina e tem um valor calórico total de aproximadamente 1500 Kcal.

Registo fotográfico: