Trabalhos 2021/2022

Escola Básica Alexandre Herculano - Santarém (Santarém)

Atividade:  Eco-Ementas Mediterrânicas | Eco-Cozinheiros (2º escalão ou 3º escalão)

Escalão: 2º escalão: 2º e 3º ciclos do ensino básico

Ementa:

Memória descritiva:
Este desafio foi colocado aos alunos que manifestaram bastante interesse em participar. A coordenadora do Programa Eco-Escolas em conversa com colegas de Ciências Naturais decidiram avançar com o desafio dos Eco-Cozinheiros. Assim, o trabalho foi realizado por quatro alunos da escola (dois de uma turma CEF e dois de 6ºano). Uma aluna do 6ºano elaborou a receita da entrada, uma sopa de legumes portuguesa; dois alunos de uma turma CEF (8ºano) elaboraram a receita do prato principal, robalo com salada de maçã, pêssego e pera e uma terceira aluna do 6º ano e pertencente ao Clube do Ambiente elaborou a receita da sobremesa.
Tendo em conta que todos sabem o que é a Alimentação saudável, equilibrada e sustentável, foram feitas pesquisas e aplicados os conhecimentos adquiridos sobre o assunto. Daí surgiu a ementa referida anteriormente.
Valor nutricional da ementa
֎ Sopa de legumes portuguesa
Valor calórico: 57kcal
Valor nutricional: Hidratos de carbono: 3g; Proteina: 1g; Gordura: 5g ; Gordura Saturada: 1g ; Sódio: 3mg; Potássio: 79mg ; Fibra: 1g; Açúcar: 1g ; VitaminaA: 321IU ; VitaminaC: 5mg ; Cálcio: 14mg ; Ferro: 1mg.
֎ Robalo com salada de maçã, pêssego e pera
Valor calórico: 508Kcal
Valor nutricional: 24,2 g de proteína, 21,2 g de hidratos de carbono, dos quais 20,8 g de açúcar, 29,1 g de lípidos, dos quais 5,6 g de saturados, e 6,1 g de fibra.
֎ Panquecas com abóbora e frutos secos
Valor calórico: 178Kcal
Valor nutricional: 9,8 g de proteína; 16,9 g de hidratos de carbono, dos quais 3,7 g são de açúcar; 7,3 g de lípidos, dos quais 1,7 g de saturados e 2,7 g de fibras.
Esta ementa enquadra-se na dieta mediterrânica porque incluem sopa de legumes como entrada numa refeição, preferência por peixe e frutos da região, quer como sobremesa, quer no acompanhamento. do prato principal. Seguindo a prática desta dieta, o consumo de frutos frescos, hortícolas, frutos secos, ervas e especiaria, azeite, peixe e outros, a saúde humana fica mais protegida contra doenças cardiovasculares, hipertensão arterial, cancro, diabetes e obesidade e outras, aumentando ainda a longevidade. Esta ementa é caraterizada como sendo saudável, equilibrada e ainda sustentável. O nosso país como país Mediterrânico que é, está bem adaptado a esta dieta, fazendo parte de muitas famílias portuguesas tradicionais. Os legumes e as hortaliças utilizados na sopa, o peixe e as frutas frescas utilizadas no prato principal, bem como o azeite, gordura vegetal mais saudável e a abóbora e frutos secos e mel na sobremesa fazem uma iguaria simples, apetitosa e saudável e equilibrada. É também sustentável, uma vez que os produtos usados são produzidos no nosso país. É fundamental que haja a prática da sustentabilidade na cozinha, consumir produtos da região e da época, favorecendo o comercio local e sem desperdício alimentar. As ervas aromáticas e as flores comestíveis são também uma boa referência na cozinha, sendo estes produtos facilmente cultiváveis em floreiras em varandas, pátios ou pequenos jardins.
Todavia, a ementa escolhida poderá fazer parte dos hábitos alimentares de muitas pessoas, mas não de todas. A adoção de práticas alimentares saudáveis torna-se cada vez mais importante, saber distinguir, de entre toda a oferta de alimentos, o que é saudável e o que é nocivo, tem de se adquirir uma boa educação saudável. Assim a família e a escola têm o dever de funcionar como modelos das práticas alimentares para os mais jovens. A opção de juntar as frutas com o peixe, veio motivar os jovens a consumirem com mais agrado o peixe e a fruta.
No que diz respeito a aspetos financeiros considera-se que esta ementa tem um custo de 7,75 euros por pessoa. Visto tratar-se de uma ementa saudável e equilibrada, não parece ter um custo muito elevado. No entanto, pode sempre ajustar-se com produtos da horta da família, na compra destes produtos a pessoas vizinhas e adquirir aqueles produtos que muitas vezes não apresentam o tamanho e/ou forma exigido nas grandes superfícies para usar na nossa cozinha. Adquirir preferencialmente os produtos da época, não só porque são mais baratos, como têm melhor sabor nutritivo.

Registo fotográfico:

Informação extra:
O valor de custo da respetiva ementa/refeição poderia se fixar-se em 10 euros por pessoa, uma vez que o custo dos produtos é de 7,75 euros, havendo assim um excedente de aproximadamente 32%, que poderá ser para cobrir o custo de água, luz/gás e mão de obra e, o restante para o lucro da refeição.
Para saber do valor nutricional de cada alimento que compõe a receita, basta aplicar a regra de três simples a partir do valor da tabela.
Para o cálculo do valor energético, são usados fatores de conversão para hidratos de carbono, gorduras e proteína. Assim, para cada grama de hidratos de carbono - 4 kcal; para cada grama de proteína - 4 kcal e para cada grama de gordura - 9 kcal .
Deste modo, todas as referências de consumo diário do valor nutritivo dos alimentos levam em conta uma dieta de 2000 kcal. Existe uma tabela que indica o consumo indicado de cada item:
Valor energético (calorias): 2000
• Proteínas: 75 gramas
• Gorduras Totais: 55 gramas
• Hidratos de carbono: 300 gramas
• Fibras: 25 gramas
Fazendo os cálculos teremos:
- sopa indicada (57 kcal/pessoa): proteínas 2,1 g; gorduras totais 1,6 g; hidratos de carbono 8,6 g e fibras 0,7 g.
- prato peixe indicada (508 kcal/pessoa): proteínas 19,1 g; gorduras totais 14,0 g; hidratos de carbono 76,2 g e fibras 6,4 g.
- sobremesa indicada (178 kcal/pessoa): proteínas 6,7 g; gorduras totais 4,9g; hidratos de carbono 26,7 g e fibras 2,2 g.

Informação extra (anexos):